A roubalheira não é privilégio nem do PT nem do governo federal

Só um pequeno (porque só se refere a 3 municípios), mas eloquente exemplo:
Só entre abril e agosto, 3 prefeitos de cidades importantes do Rio de Janeiro perderam seus mandatos por corrupção. Todos de partidos diferentes: PMDB, PSD E PSDB.
Primeiro caso: Teresópolis. Entre outros motivos, por “evolução patrimonial incompatível com a renda”. Em 2008, informou ao tribunal eleitoral que não tinha bens. Pois este ano, com um salário de prefeito de R$ 14,7 mil, tem uma propriedade rural avaliada em R$ 3,5 milhões. O que ele tem na “propriedade”: um mini zoológico particular.
Segundo caso: Itaguaí, importante polo econômico. Aos 33 anos, o prefeito, que também não possuía bens ao entrar para a carreira política, teve, entre outros carros importados, uma Ferrari amarela avaliada em R$ 1,7 milhão.
Terceiro caso: Mangaratiba, perto de Itaguaí, no sul do estado, e muito frequentada por turistas. Na Costa Verde, perto d Angra. Prefeito cassado e preso. Sob várias acusações. Uma delas, a de formação de quadrilha.
As fraudes em licitações se espalham. Polícia Federal e Ministério Público, no entanto, investigam, o que não víamos há alguns (poucos) anos.
P.s.: ministério público investiga também licitações em Niterói. Suspeita-se que a máfia seja a mesma das cidades de Itaguaí e de Mangaratiba. Até agora, não se levantaram suspeitas em relação ao prefeito atual, que é de um quarto partido.PT.