Bom dia! Carta a vocês sobre meu trabalho

Meus queridos, bom dia e boa semana!
Estou em falta com todos os que me mandam e-mails através do formulário de contato do meu site, e também com milhares que fazem comentários em meus posts nas duas páginas do Face, ou ainda em mensagens através do Twitter.
Agradeço de verdade, inclusive os assuntos sugeridos. Estão cuidadosamente separados, e pretendo apurá-los assim que possível.
Vocês com certeza entendem que esta crise econômica e política quase não deixa espaço (nem tempo) para outros assuntos. Mal temos intervalo para dormir!
A verdade é que venho conseguindo responder apenas a uma pequena parte das dúvidas que recebo.

  SEM LEITOR, OUVINTE OU TELESPECTADOR,

                  NÃO EXISTE JORNALISMO
Assim que me cadastrei nas redes sociais, o que é muito recente, vocês me surpreenderam aos milhares. O que me deixou tão surpresa quanto feliz.
E se tornou humanamente impossível responder a cada um. Eu poderia adotar a famosa resposta automática e padrão, mas: 1) seria bobo e falso, e 2) pra isso existem os virtualmente insuportáveis “call centers”, não?
Insisto que o trabalho do jornalista só faz sentido se ele for lido, ouvido ou visto. Vocês são a razão do nosso ofício. E ficaram muito mais importantes no século XXI, graças à interatividade.

       JORNALISMO É INDIGNAÇÃO   

Neste momento difícil para o Brasil, também quero reiterar o que muitos de vocês que me acompanham há anos já sabem. Nunca fui, não sou, nunca serei ligada a nenhum partido político. O jornalismo que me esforço em praticar há 42 anos é apartidário e independente. Só não posso, e creio que não devo, deixar de ficar indignada diante… Bem , diante de tanta coisa que acontece mundo afora. Sei o quanto o jornalismo que se alega independente tem sido discutido e estudado.

Para deixar ainda mais claro. Também não favoreço ou critico qualquer religião. Aliás, a cada dia mais me convenço de que a intolerância religiosa é um dos maiores e mais desprezíveis males do mundo.

Também não sou ligada a nenhuma empresa ou corporação. Como todo mundo sabe, presto serviços avulsos a empresas e organizações, através de eventos, palestras e mediações de debates para os quais sou contratada. Neles, exponho minhas análises da conjuntura política e econômica, sempre sem interferências editoriais do contratante.
Trata-se de um mercado tão pulverizado e variado, que a cada dia me sinto ainda mais confortável quanto à minha independência editorial.

 DA NOSSA TEMPERATURA POLÍTICA E ECONÔMICA 
O país atravessa um momento delicado, e passei a receber, através da rede, mensagens de inequívocas “torcidas” políticas. Por isso, senti necessidade de deixar ainda uma vez claríssimo a todos que minha sincera e única preocupação é o futuro do Brasil. E que batalho todo dia para tentar transmitir ao maior número possível de pessoas qual o efeito de cada notícia no cotidiano das famílias e das empresas.
A temperatura política e econômica subiu muito e muito rápido. E foi também por isso que resolvi abraçar este trabalho.

Eu vinha sendo tão abordada pelas pessoas, ansiosas sobre nossos cenários, que cheguei à conclusão que meu direito de me omitir havia ‘expirado’.

Muito, muito obrigada pela calorosa recepção d vocês nesta minha nova empreitada.
Note-se que também estão registrados, e com muito carinho, cada um dos muitos pedidos para que eu passe a dar informações também em vídeo. Só preciso um pouco mais de tempo, combinado?

Eu simplesmente adoro meu trabalho.   Lillian