Já não passou da hora de acabar com tanto recall?

Outra coisa que me chamou a atenção foi o acordo anunciado pela General Motors americana com o Departamento de Justiça também dos Estados Unidos, por ter se omitido a respeito de um defeito de ignição que matou, segundo a CNN, pelo menos 124 pessoas. E por ter demorado para fazer o conhecido recall.
Já estava na hora de a indústria automobilística prestar mais atenção nessa história de recall, que suspeito tenha virado algo banal. A toda hora alguma montadora chama para algum recall em modelos x, y ou x.
Se as fábricas “chamam de volta” os infelizes proprietários dos automóveis, é porque oferecem risco.
Ora, é o cúmulo deixar sair da fábrica tanto carro com perigo potencial.
O acordo com a GM foi d U$ 900 milhões. E, só pelo que li muito rapidamente há pouco, nem foi o maior. Temo ser vítima da pressa e citar o veículo errado, mas se não me engano foi na CNBC que li que a Toyota já fez um acordo similar de US$ 1,2 bilhão. E que hoje a mesma Toyota anunciou a 423.500 infelizes proprietários de um de seus modelos de SUV (nos EUA; nada vi sobre o Brasil), que eles precisarão comparecer às concessionárias para cumprir mais um “recall”.
Além do perigo (na minha opinião absurdo), além do recall (que deveria ser uma raríssima exceção), cabe a pergunta: e no tempo que se perde indo até o local, esperando, e voltando pra casa, não vai nada, não?