Fraude em 11 milhões de carros da Volks

Está aberta a era das investigações na indústria automobilística, suspeita de fraudes de tamanho monumental contra a saúde mundial, por mentir sobre o ar que respiramos.
A Volkswagen anunciou hoje que 11 milhões de carros a diesel foram equipados com software que mente na hora dos testes de poluição ambiental. E estão circulando pelo mundo.
Ontem, a Volkswagen foi acusada de fraude pelo governo dos Estados Unidos, que descobriu a “mentira” deliberada em 500 mil carros, também movidos a diesel, circulando à vontade no país.
A multa pode chegar a U$ 18 bilhões, e as ações da empresa caíram quase 20% ontem na Europa.
Hoje, a Volkswagen está anunciando que, em todo o mundo, 11 milhões de carros circulam com o mesmo equipamento.
Especialistas do setor acham pouco provável que isso tenha acontecido só na Volkswagen, e prevêem anos de processos de dimensões possivelmente inéditas contra as empresas do setor.
As ações populares já começam a ser preparadas.
Não há notícias de que o mesmo problema aconteceu na Volkswagen do Brasil.
Os escândalos bancários deflagrados em 2008, a partir do episódio Lehman Brothers, já haviam custado ao setor multas de U$ 260 bilhões só até 23 de agosto, segundo levantamento do jornal londrino Financial Times, que fez a ressalva: e vêm aí mais U$ 60 bilhões. Em tempo: neste momento, o dólar já ultrapassou os R$ 4. Portanto, a multa mundial global imposta aos bancos por fraude (320 bilhões de dólares) equivale a R$ 1,28 trilhão.
Nenhum banco brasileiro está entre os acusados.
Constatou-se que os bancos internacionais mentiram aos clientes e aos governos sobre informações das mais variadas. Impossível saber se a indústria automobilística vai tirar dos bancos o título de campeões em fraude.
Que mundo é este?