O novo ministério é de arrepiar

Quero entender que Michel Temer esteja formando um gabinete possível.
Em nome da governabilidade.
Seria ingenuidade imaginar algo muito diferente, diante da qualidade do Parlamento  que, ao impedir Dilma Rousseff de seguir na presidência, entregou o poder ao vice.
Dito isso, fato é que o novo ministério é de arrepiar.
Para não falar do comando das estatais – inclusive de bancos federais e de fundos de pensão.
A Procuradoria Geral da República – thank God – não deixa barato.
E está entupindo de trabalho o ministro Teori Zavascki, do Supremo.
Pelo jeito, a fase dos candidatos a réu com foro privilegiado está só começando.
Ontem, a Procuradoria pediu ao STF autorização para investigar o presidente do PSDB e senador por Minas, Aécio Neves, e o (ainda) ministro da Comunicação Social de Dilma, Edinho Silva.
Mas a notícia de hoje é – digamos – mais impactante.
Estou curiosa para ver qual será a resposta do dr. Teori sobre os pedidos, aparentemente pra lá de fundamentados, para investigar quem?
Eles: Dilma e Lula.
Falar a verdade, não sei se todos os veículos estão noticiando.
Leio no jornal Valor:
http://www.valor.com.br/politica/4547583/janot-pede-ao-stf-autorizacao-para-investigar-dilma-e-lula?web=true&redirectMobile=true
E penso o que você também pensa:
não vai sobrar ninguém.
Que seja.
O preço de continuarmos no desconhecimento de tamanhas mazelas é o que estamos pagando há tempos.
Com viés de alta.
Exemplo: uma montanha de remédios no Rio de Janeiro vai ser incinerada.
Só pra queimar, serão gastos R$ 3 milhões.
Dinheiro do Estado onde servidores e aposentados não recebem.
Onde faltam remédios de primeiríssima necessidade para a população carente.
Onde a saúde é um desastre. Educação e segurança pública idem.
A maioria dos estados e municípios – conforme alertam há tempos os que entendem de contas públicas – estão em situação financeira ainda pior do que a União.
Não investigar a ladroagem seria muito pior.
A Venezuela decretou semana de 2 dias úteis para os servidores públicos por falta de energia elétrica.
Acaba de dar um aumento hipócrita de salário mínimo, que em nada vai aliviar as famílias por causa da inflação galopante.
Falta papel higiênico, falta luz, falta cerveja.
E sobra violência.
A Argentina começa a indiciar a ex-presidente Cristina Kirchner, acusada de fantástico enriquecimento supostamente ilícito, enquanto seus governados empobreciam em ritmo cavalar.
México?
Começo a ler sobre o governo Enrique Peña Nieto, globalmente celebrado quando eleito, em dezembro de 2012, e concluo que o Brasil está ótimo.
Não há solução fácil ou rápida.
A história mostra que o mundo do faz de conta é muito pior.
Tomara que Temer, e com ele nossas próximas gerações, tenham muita sorte.
A mesma que desejamos às instituições que teimam em nos salvar das lava jatos, dos eletrolões e demais escândalos que nos esperam.