A Selic está é subindo

É a inflação que está caindo, não o juro do Banco Central.
Em outras palavras: o juro real do governo Temer é mais alto do que o do governo Dilma.
Encanta ver o Banco Central cortar os juros, não?
As reduções vêm rendendo aplausos e rojões. O Planalto se mostra aliviado e não esconde a felicidade.
Muito bem, fiz uma continha rápida.
Em termos anualizados, a Selic, taxa básica dos juros nossos de todo dia (devedores ou credores), está mais alta do que na época de Dilma. Bem mais alta.
Pra resumir, ao fim do primeiro mandato dela, em dezembro de 2014, a Selic real estava em 5% (a inflação no ano foi de 6,4%).
Reeleita, tanto Dilma aprontou que, já no ano seguinte, os preços dispararam. O IPCA fechou 2015 em 10,67%.
A Selic, então, estava em 14,25%, o equivalente a uma taxa real de 3,23%.
Ora bolas, se a inflação (também de 12 meses) caiu, e está, agora em janeiro, em 5,35%, então a Selic de 13% equivale a gordos juros de 7,26%.