Temer e seus fatos alternativos

Não foi Cabral, o Sérgio, ex-governador preso em Bangu, quem quebrou o Rio de Janeiro de tanto roubar dinheiro dos cariocas. Foi a aposentadoria!
Essa, realmente, é surreal.
Hoje de manhã, o presidente Michel Temer, descobriu a pólvora.
Na reunião do tal Conselhão, que tem o pomposo nome de Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, Temer saiu-se com o seguinte:
“Quem examina hoje a situação do Rio de Janeiro, examina a situação do Rio Grande do Sul, e também de Minas Gerais, e de outros estados que estão à beira dessas dificuldades, verifica que a razão fundamental, marcante, das dificuldades dos estados é precisamente a questão previdenciária.”
É não, presidente.
São as espantosas organizações criminosas que estão na raiz dessas dificuldades financeiras, conforme corroboram, a cada dia que passa, as investigações conduzidas Brasil afora por funcionários públicos incorruptíveis.
A infeliz expressão “fatos alternativos” foi lançada pela conselheira mor do presidente Donald Trump em janeiro, quando ela não tinha mais o que argumentar sobre as mentiras lançadas impunemente pela Casa Branca.
O jornalista que a entrevistava reagiu na hora, dizendo que não existe alternativa a um fato.
Temer não só apresenta sua versão alternativa dos problemas dos estados, como põe a culpa nos aposentados!
Humildemente, pergunto: enquanto continua a trabalhar pela aprovação da reforma da previdência, o que faz o presidente a respeito das medidas anticorrupção que jazem no congresso?
O vídeo com a fala de Temer está aqui:
http://g1.globo.com/politica/noticia/quem-reclama-e-quem-ganha-mais-diz-temer-sobre-reforma-da-previdencia.ghtml