Cara de pau

Será possível que algum economista, por mais PHD que seja, vai seguir defendendo a babaca reforma da previdência que estava em gestação no Congresso? E seguir convencendo a grande mídia?
Fora as concessões/exceções que já vinham sendo feitas pelo governo, e que já tinham desfigurado o projeto, eu relembro a falta de legitimidade dos poderes executivo e legislativo para impor mais sacrifícios a uma população sujeita à pilhagem crônica e permanente.
Saqueiam-se a céu aberto os cofres públicos, que engolem uma das cargas tributárias mais altas do mundo.
E o governo tem a cara de pau de falar em privilégios ou em expectativa de vida das pessoas.
O mesmo vale para a reforma trabalhista.
Ora bolas, não é óbvio que a reforma do judiciário é muito mais urgente do que qualquer outra?
Tamanha é a quantidade de processos, que os políticos desmascarados por esses bravos policiais e procuradores incorruptíveis, contam com recursos e prescrições para continuarem a causar o famoso déficit público.