A greve dos correios e o e-commerce

Se você, como eu, deixa de comprar pela internet porque os correios estão em greve, não seria absurdo concluirmos que logo agora, quando começamos a sair da nossa pior recessão, o comércio sofre outro abalo.
É mais um dos muitos prejuízos que os ladrões contumazes do dinheiro público nos impõem.
Ladrões, sempre importante lembrar, cujos nomes vamos conhecendo graças à Lava Jato e seus filhotes.
Foram as organizações criminosas que nos levaram a esta deficitária situação fiscal, e não o alegado rombo da Previdência que o governo tanto insiste em combater, reduzindo nossos parcos direitos à aposentadoria.
A corrupção também foi responsável pela quebra dos fundos de pensão das empresas estatais, inclusive do Postalis, hoje sob intervenção federal, e que nasceu para zelar pela aposentadoria dos mesmos funcionários que estão em greve, travando um dos setores com maior potencial de crescimento, o comércio eletrônico.
Não deixa de ser emblemático, portanto, que o escândalo do mensalão tenha nascido justamente dentro dos Correios, com aquele famoso vídeo do funcionário embolsando propina.
Faz 12 anos!
É por essas e por outras que a expressão “desvio de dinheiro público” deveria ser abolida no Brasil, e trocada por roubo mesmo.
Os “ilícitos”, ou “desvios”, são assaltos a céu aberto.
Crimes que nos deixam com menos dinheiro no bolso ali, no caixa do supermercado.
Só com uma sociedade cada vez mais consciente de seus direitos, e, portanto, intolerante diante de tamanhos crimes, esses políticos serão banidos da vida pública.
As urnas nos esperam em 2018.